AP
AP

França lança primeiros ataques aéreos contra Estado Islâmico

Segundo o governo francês, alvo no Iraque foi totalmente destruído e não devem haver novos ataques 'nos próximos dias'

O Estado de S. Paulo

19 de setembro de 2014 | 09h05

PARIS - A França afirmou que seus caças lançaram ataques no Iraque nesta sexta-feira, 19, pela primeira vez desde que prometeu unir-se aos Estados Unidos e outros países na ação militar contra os insurgentes do Estado islâmico (EI), que assumiram o controle de uma ampla área no Iraque e na Síria.

"Esta manhã, às 09h40 (3h40 no horário de Brasília), nossos jatos Rafale lançaram o primeiro ataque, contra um depósito logístico dos terroristas", disse o gabinete do presidente François Hollande, em um comunicado divulgado logo após os bombardeios.

O alvo, no nordeste do Iraque, foi totalmente destruído, afirmou o comunicado, acrescentando que não haveria mais operações "nos próximos dias".

Os aviões franceses partiram de uma base aérea nos Emirados Árabes Unidos e atacaram um armazém de logística dos jihadistas. De acordo com um porta-voz militar do Iraque, Qassim al-Moussawi, os ataques ocorreram na cidade de Zumar e causaram a morte de dezenas de militantes islâmicos.

Hollande disse na quinta-feira que os ataques aéreos franceses eram iminentes e ocorreriam depois que voos de reconhecimento tivessem identificado os alvos. O presidente acrescentou que a ação militar seria limitada ao Iraque e não seriam enviadas tropas ao país.

Os EUA elogiaram a decisão de Paris de entrar no combate militar contra o EI. "Estamos satisfeitos que franceses e americanos irão mais uma vez trabalhar juntos por nossa segurança compartilhada e valores compartilhados", disse na quinta o presidente americano, Barack Obama.

A França havia anunciado sua intenção de fazer parte da coalizão militar, político e financeira que está sendo criada pelos EUA para derrotar os jihadistas. / AP e REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Estado IslâmicoFrançaEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.