França não sabe o que fazer com corpo de atirador

A França ainda se recupera nesta quinta-feira dos piores ataques terroristas ocorridos no país nos últimos anos, mas tem de lidar com uma outra questão espinhosa: onde enterrar o corpo do homem que afirmou ser o autor dos disparos, que mataram sete pessoas.

AE, Agência Estado

29 Março 2012 | 14h08

Autoridades da argelinas disseram que não aceitarão os restos mortais de Mohamed Merah, como era desejo de seu pai, que nasceu na Argélia.

A polícia disse que Merah filmou o assassinato de três crianças, um rabino e três paraquedistas militares numa série de ataques ocorridos no início do mês. Merah, que adotava uma versão radical do islamismo e disse ter ligações com a Al-Qaeda, foi alvejado na cabeça após um cerco de mais de 30 horas na cidade de Toulouse, sul da França.

Seu irmão está detido por suspeita de cumplicidade no caso e a polícia procura por um potencial terceiro homem que pode ter ajudado nos ataques.

Mas o corpo de Merah continua insepulto, uma semana após sua morte. O pai do jovem de 23 anos disse nesta semana que gostaria que seu filho fosse enterrado num túmulo da família na Argélia, solução que pareceu satisfazer as autoridades francesas, desconfortáveis com a questão do que fazer com os restos mortais do atirador.

Com esse plano em mente, o corpo de Merah foi levado ao aeroporto de Toulouse nesta quinta-feira e a expectativa era de que sua mãe acompanhasse o corpo até Argel, num voo que partiria ainda hoje.

Mas Abdallah Zekri, integrante do Conselho Muçulmano Francês, disse à Associated Press que autoridades argelinas se recusaram a permitir a entrada do corpo por "razões de ordem pública".

Zekri esteve em contato com autoridades do consulado argelino em Toulouse. Ele disse que Merah será enterrado ainda nesta quinta-feira num cemitério muçulmano no bairro de Cornebarrieu, em Toulouse. Mas então a objeção partiu do prefeito da cidade, que pediu às autoridades do governo central, em Paris, que adiassem o sepultamento por mais 24 horas.

"Após a recusa da Argélia no último minuto em aceitar o corpo de Mohamed Merah, (o prefeito de Toulouse) Pierre Cohen acha que o sepultamento na cidade não é apropriado", disse o gabinete do prefeito em comunicado.

Já Sarkozy declarou que "deixem que ele seja enterrado e não vamos criar um debate sobre isso". As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
França Merah enterro Toulouse

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.