França não vê terrorismo na queda de avião no Egito

Partes recuperadas de corpos das vítimas da queda de um avião egípcio que matou 148 pessoas durante o fim de semana não traziam sinais de queimaduras, sugerindo que não houve explosão dentro da aeronave, declarou o secretário-geral do Ministério das Relações Exteriores da França, Renaud Muselier.Em entrevista a jornalistas franceses, ele disse acreditar que a queda da aeronave que fazia o vôo FSH604 da companhia egípcia Flash, no último sábado, na costa de Sharm el-Sheik - um balneário egípcio na costa do Mar Vermelho - foi acidental."Não há nenhum motivo para acreditar na possibilidade de atentado", afirmou o secretário-geral da chancelaria francesa. Ainda segundo ele, "tudo será feito para que sejam encontrados os motivos claros e precisos" da queda."Em menos de 50 segundos, o avião apresentou um grave problema, caiu de nariz para baixo e mergulhou no mar", afirmou Muselier. A maioria das vítimas era composta por turistas franceses. "Claramente, existe um elo fraco nessa corrente e nós descobriremos qual é", prosseguiu o secretário-geral em entrevista à emissora de televisão France-2.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.