Efe
Efe

França obtém rastro de DNA de atirador fugitivo

Pistas foram colhidas em veículo do motorista sequestrado por homem que atirou na sede do jornal 'Libération'

Andrei Netto, correspondente em Paris,

19 de novembro de 2013 | 18h38

PARIS - A polícia francesa anunciou nesta terça-feira, 19, ter obtido o DNA do homem suspeito de ter invadido a sede do jornal Libération e, armado com um fuzil, ter ferido gravemente um fotógrafo, além de ter perpetrado outros dois ataques na região de Paris.

A evidência deve permitir ao Ministério do Interior identificar o autor dos crimes rapidamente, caso ele já tenha antecedentes. Os traços de DNA foram coletados no interior de um veículo usado pelo atirador para fugir após o segundo a ataque à sede do banco Société Générale, nas imediações da capital. O veículo pertencia a um motorista que foi sequestrado e forçado a dirigir até a Avenida Champs-Elysées, onde o suspeito pegou o metrô e desapareceu no final da manhã de segunda.

Outra possibilidade de localizar o atirador pode ser uma nova foto obtida das câmeras do metrô. Na foto, o suspeito aparece bem mais claramente do que nas imagens anteriores, de sexta-feira, tomadas pelas câmeras de segurança da rede de TV BFM, onde o mesmo homem havia feito ameaças, sem no entanto atirar em ninguém.

A fotografia mostra que o suspeito trocou de roupas entre o primeiro ataque, no Libération, às 10h15, e sua fuga por transporte público, por volta das 12 horas. A imagem levou entre 800 e 1.000 pessoas a ligar para a polícia dando indícios sobre o suspeito. O atirador é desde a segunda-feira o homem mais procurado da França. "Nas últimas horas, todo um trabalho foi feito envolvendo o DNA deste indivíduo, no veículo que ele utilizou e nos cartuchos", garantiu o ministro do Interior, Manuel Valls, sem esconder a preocupação com novos possíveis ataques. "Só ficaremos tranquilos quando colocarmos as mãos nele."

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.