Nicolas Tucat/AFP
Nicolas Tucat/AFP

França prende um dos dez pedófilos mais procurados do mundo

Casado e pai de família, homem mantinha sites de pornografia infantil acessíveis a milhares de pessoas na 'darknet'; suspeito também teria estuprado seus dois filhos

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de julho de 2020 | 16h56

BORDEAUX, FRANÇA - Um pai de 40 anos, desconhecido pelos tribunais, foi detido em uma cidade no sudoeste da França, suspeito de manter sites de pornografia infantil acessíveis a "milhares de pessoas" na "darknet", a parte oculta da internet. 

O suspeito "se tornou um dos dez alvos prioritários do mundo" na luta contra o abuso infantil, disse a promotora da República de Bordeaux, Frédérique Porterie, nesta segunda-feira, 13.

Detido em 7 de julho em sua casa, em uma área rural de Bordeaux, o suspeito também é acusado de estuprar seus dois filhos pequenos, gravar os estupros e publicá-los online, de acordo com uma fonte próxima ao caso. 

Esse homem, que reconheceu os fatos e está detido provisoriamente, "permitiu que milhares de usuários da Internet em todo o mundo acessassem fotografias e vídeos de pornografia infantil", explicou a promotora.

"Desconhecido dos serviços policiais e de justiça", ele apresenta "um perfil totalmente comum: casado, pai de família, integrado a uma profissão", que trabalha em uma comunidade local, disse uma fonte próxima ao caso à AFP. 

"Ele era um superadministrador de portais de pornografia infantil que parece um homem totalmente normal", resume Eric Bérot, chefe do escritório central de Supressão da Violência contra Pessoas (OCRVP), a estrutura policial que realizou a investigação após o detectar em 2014. 

Sua prisão é o resultado de "trabalho de cooperação internacional", enfatizou Eric Bérot. "Ele se comunicava apenas em inglês. Não tínhamos indicação de sua nacionalidade. Mais tarde, com a infiltração cibernética, conseguimos identificá-lo", explicou.

A polícia francesa realizou a investigação em colaboração com a Europol, a polícia europeia, que possui uma célula para combater as redes internacionais de pornografia infantil da darknet. 

"Os serviços repressivos mundiais tinham como alvo um internauta há anos, que usava pseudônimo e administrava dois portais de pornografia infantil na darknet", disse a juíza Porterie à AFP, acrescentando que em 2007 ele já havia compartilhado nas redes, "fotos e vídeos de sua própria produção". 

Por fim, os investigadores franceses "conseguiram identificar seu endereço IP", explicou. 

O indivíduo foi acusado em 9 de julho por "crime organizado" e "posse e gravação" de imagens pornográficas infantis. Ele também é acusado de "estupro incestuoso de um menor por um ascendente" e "agressões sexuais incestuosas em um menor de 15 anos de idade por um ascendente", informou a promotoria em comunicado. 

O homem, descrito como um "pedófilo ativo" por vários anos, segundo a fonte familiarizada com o caso, foi detido em sua casa, localizada a cerca de trinta quilômetros de Bordeaux.

"No campo. Não é ali que se espera descobrir um dos principais administradores da área de pedofilia da darknet. Ele estava entre os 10 pedófilos mais procurados do mundo". 

Durante a busca, os investigadores apreenderam equipamentos de informática em sua casa. "Para ser administrador, é necessário ter material, como servidores", diz a mesma fonte. /AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.