Thomas Samson/AFP
Thomas Samson/AFP

França prolonga confinamento por coronavírus até 11 de maio

País já soma mais de 15 mil mortes e está em quarentena rigorosa desde o dia 17 de março

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de abril de 2020 | 16h32

PARIS - A França prorrogou até o próximo 11 de maio as estritas medidas de confinamento para combater a epidemia do novo coronavírus, que já causou cerca de 15 mil mortes no país. 

"A epidemia ainda não está controlada", declarou o presidente francês, Emmanuel Macron, em um discurso televisionado no qual anunciou que prolongará a quarentena, que está em vigor desde o dia 17 de março. 

A partir de 11 de maio, a França reabrirá "gradualmente" as creches e escolas do país, mas as universidades, restaurantes e cafés permanecerão fechados.

Da mesma forma, as fronteiras da França com países não europeus permanecerão fechadas "até novo aviso".

Nas últimas quatro semanas, os 67 milhões de franceses ficaram confinados em suas casas e só podem trabalhar quando não é possível fazê-lo remotamente ou realizar atividades básicas como comprar alimentos, remédios ou fazer uma hora de exercício físico diário.

No entanto, o número de pessoas em terapia intensiva registrou uma queda, com "24 pacientes a menos", segundo dados da Diretoria Geral de Saúde, que indicam que a epidemia está em um "platô alto".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.