França quer discutir sobre fronteiras após tragédia

O primeiro-ministro da França, Jean-Marc Ayrault, requisitou neste sábado uma reunião com outros países europeus para discutir a administração de fronteiras, depois do acidente com um barco que levava centenas de refugiados africanos na costa da Itália.

Agência Estado

05 de outubro de 2013 | 17h17

"Além da tragédia, os políticos europeus devem conversar, e logo", disse Ayrault durante um encontro na cidade francesa de Metz. "Cabe a eles se encontrarem para buscar uma solução adequada. Compaixão não é o bastante".

A embarcação que levava mais de 450 refugiados africanos, emborcou na última quinta-feira, próxima à ilha de Lampedusa, na Itália. Pelo menos 111 corpos já foram encontrados no local da tragédia. O número de mortos pode chegar a 300.

Este ano, a Itália pediu à União Europeia assistência na redistribuição dos refugiados que chegam em sua costa. Somente este ano, mais 30 mil pessoas pediram asilo no país, um número quatro vezes maior que o registrado em 2012. Fonte: Dow Jones. (Celso Filho, especial para AE).

Tudo o que sabemos sobre:
FRANÇAFRONTEIRASITÁLIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.