França quer retomar diálogo com Teerã

Sarkozy diz a Medvedev que negociações teriam como base acordo sobre urânio obtido por Brasil e Turquia

AP, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2010 | 00h00

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse ontem a seu colega russo, Dmitri Medvedev, que a França está pronta para iniciar em breve negociações com o Irã sobre seu programa nuclear.

Sarkozy afirmou que as conversações seriam "com base nos esforços brasileiros e turcos e a resposta enviada por Rússia, França e EUA (no dia 9)", informou um porta-voz do gabinete do presidente francês.

O governo iraniano aceitou em 17 de maio, após firmar uma declaração com Brasil e Turquia, trocar no território turco 1.200 quilos de urânio (enriquecido a 3,5%) por 120 quilos de combustível para seu reator de pesquisas médicas.

O acordo, entretanto, foi formalmente rejeitado pelo chamado "Grupo de Viena", formado por EUA, Rússia, França e a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). Após a recusa, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma quarta rodada de sanções contra o programa atômico iraniano. Na semana passada, os EUA e a União Europeia deram mais um passo e adotaram novas sanções unilaterais contra Teerã.

Segundo o Palácio do Eliseu, Sarkozy quer relançar as negociações do grupo P5+1 - os cinco membros permanentes do CS da ONU (EUA, Grã-Bretanha, França, China e Rússia) e a Alemanha. "Adotamos novas sanções não para castigar o Irã, mas para convencer seus líderes a retomar o caminho das negociações", disse Sarkozy a Medvedev durante reunião em São Petersburgo. A Rússia havia criticado as sanções unilaterais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.