França reconhece primeiros casos de aftosa

O governo da França comunicou oficialmente hoje aos serviços de defesa sanitária animal da Comunidade Européia a ocorrência dos primeiros seis casos de febre aftosa no rebanho bovino, em Meyenne, na região noroeste do país. Esta é a primeira notificação na Europa continental desde o início do surto na Grã Bretanha, em março. As autoridades francesas confiscaram e abateram todas as 114 cabeças de gado da propriedade atingida. As carcaças foram incineradas e a fazenda isolada. O criador em Mayenne será parcialmente indenizado. Na Itália, um lote apartado de 390 carneiros de corte está sob quarentena depois que foram encontrados anticorpos para o vírus da aftosa em amostras de sangue. Os pecuaristas britânicos contabilizavam 188 animais contaminados até a meia-noite de segunda-feira. Em Chantilly, nas imediações de Paris, o fazendeiro brasileiro Guilherme Salgado, que mantém um rebanho de 25 vacas leiteiras em um pequeno sítio, justificou as medidas drásticas - confinamento, arresto e abate de animais - adotadas pelo ministro Jean Glavany nas últimas duas semanas: "Graças às quais a doença ficará limitada às áreas menos desenvolvidas da França, onde as pastagem são mais pobres."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.