Michele Cattani/AFP
Michele Cattani/AFP

França reivindica morte de agente da Al-Qaeda em Mali, na África

O ex-coronel do exército do Mali, também conhecido como Bamoussa Diarra, era um braço direito de Iyad Ag Ghali, o líder do grupo jihadi mais proeminente do Mali

Reuters, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2020 | 04h55

PARIS - Forças francesas mataram Bah ag Moussa, líder militar da ala norte da África da Al Qaeda, durante uma operação no nordeste do Mali, disse a ministra das Forças Armadas, Florence Parly, nesta sexta-feira, 13.

O ex-coronel do exército do Mali, também conhecido como Bamoussa Diarra, era um braço direito de Iyad Ag Ghali, o líder do grupo jihadi mais proeminente do Mali, Jama'at Nusrat al-Islam wal-Muslimin (JNIM), que atacou diversas vezes soldados e civis no Mali e no vizinho Burkina Faso.

“Uma figura histórica do movimento jihadista no Sahel, Bah ag Moussa é considerado responsável por vários ataques contra o Mali e as forças internacionais”, disse Parly em nota.

Moussa, que estava na lista de terrorismo dos EUA, foi morto na terça-feira, 10, após uma operação envolvendo tropas terrestres e helicópteros e vem depois de uma série de operações que viram as forças francesas matarem dezenas de combatentes islâmicos nas últimas semanas. “Este é um grande sucesso na luta contra o terrorismo”, disse Parly.

A França tem mais de 5.100 funcionários espalhados pela região, operando contra a propagação do terrorismo. / Reuters

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.