França suspeita de Al-Qaeda em sequestro de cinco pessoas no Níger

Cinco franceses e dois africanos foram raptados ontem na região do deserto do Saara

AE-AP, Agência Estado

17 de setembro de 2010 | 20h03

Autoridades francesas dizem acreditar que o braço da rede terrorista Al-Qaeda no Norte da África pode estar por trás do sequestro de cinco cidadãos franceses e de dois africanos no Níger, afirmou nesta sexta-feira, 17, o ministro de Relações Exteriores da França, Bernard Kouchner.    

 

Veja também:

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

Ninguém assumiu até agora a responsabilidade pelo sequestro. "Acreditamos que a Al-Qaeda no Magreb Islâmico é a responsável", disse o ministro. Eles foram sequestrados na madrugada de ontem, perto de uma mina de urânio na cidade de Arlit, na região norte do Níger, no deserto do Saara.

Segundo os funcionários franceses, foram sequestrados um homem que trabalha para a estatal nuclear francesa Areva, bem como sua esposa e cinco empregados da Satom, uma companhia subcontratada da Areva.  

 

Quase todos os 30 empregados da companhia e das suas empresas subcontratadas foram retirados de Arlit e levados para Niamey, capital do Níger, de onde possuem a opção de voltar para a França, informou hoje um assessor de imprensa da Areva.

Tudo o que sabemos sobre:
sequestroNígerFrançaAl-Qaeda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.