França também sofreu ataque cibernético chinês, diz Le Monde

A França também foi alvo de ataquescibernéticos chineses, a exemplo do que aconteceu com EstadosUnidos e Alemanha, disse no sábado o jornal parisiense LeMonde, citando uma fonte do governo. Pequim nega os relatos da imprensa ocidental segundo osquais hackers chineses invadiram sistemas do Pentágono e dogoverno alemão, inclusive da chancelaria (sede do governo). Francis Delons, secretário-geral de Defesa Nacional daFrança, ligado ao gabinete do primeiro-ministro, disse ao LeMonde que seu país também sofreu esse tipo de invasão. "Por várias semanas, tive claras indicações de que a Françanão estava protegida de ataques (de hackers chineses)", disseDelon ao Le Monde. "(Temos notado) sinais de ataques quetocaram serviços controlados pelo governo. Podemos falar de umcaso sério, (mas) não estou em posição de dizer que essesataques partiram do governo chinês." O Pentágono disse que os hackers conseguiram entrar em umsistema de emails não-sigiloso no gabinete do secretário deDefesa dos EUA, Robert Gates. As autoridades norte-americanasnão quiseram comentar informações do Financial Times de que oExército chinês seria responsável pela invasão. O Departamento de Defesa dos EUA disse que não houve ameaçaa sistemas sigilosos ou interrupção das operações de defesa. Na Alemanha, a revista Der Spiegel, noticiou na semanapassada que o serviço federal de inteligência disse ao governoem maio que hackers chineses tinham penetrado em redes doministério.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.