França tem certeza de que gás sarin foi usado na Síria, diz Fabius

Ministro das Relações Exteriores explicou que testes foram feitos em amostras colhidas em território sírio

O Estado de S. Paulo,

04 de junho de 2013 | 14h48

PARIS - A França afirmou, nesta terça-feira, 4, ter certeza de que gás sarin foi utilizado na Síria, após realizar testes com amostras recolhidas no país, que vive em guerra civil há mais de dois anos.

"Esses testes mostram a presença do sarin em várias amostras", disse o ministro das Relações Exteriores, Laurent Fabius, acrescentando que as amostras foram enviadas à Organização das Nações Unidas (ONU). "A França tem certeza de que o gás sarin foi utilizado diversas vezes na Síria."

Investigadores da ONU, em um novo relatório da Comissão Independente de Inquérito da Síria, constataram o uso de armas químicas no conflito sírio. O documento listou quatro incidentes em que foram encontradas provas de que "quantidades limitadas" de gases tóxicos foram empregadas - dois em Alepo, um em Damasco e outro em Idlib.

A França testou amostras com possíveis resquícios de gases químicos, incluindo algumas retiradas dos repórteres do jornal Le Monde que estiveram na Síria. "Seria inaceitável que os responsáveis por esses crimes ficassem impunes", disse Fabius, sem explicar se Paris estava apta a dizer quem utilizou o gás sarin./REUTERS

 
Mais conteúdo sobre:
SíriaFrançaarmas químicas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.