França: Tribunal interroga diretora do FMI por 13 horas

Um tribunal francês interrogou por 13 horas a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, como parte da investigação criminal sobre suposto abuso de poder e mau uso de recursos públicos quando ela era ministra das Finanças da França. O tribunal deve voltar a se reunir nesta sexta-feira.

AE, Agência Estado

23 Maio 2013 | 20h17

"Vejo vocês amanhã", disse Lagarde a jornalistas ao deixar o tribunal. Em Washington, o porta-voz do FMI, Gerry Rice, disse que o Comitê Executivo do Fundo "continua a manifestar confiança na capacidade da diretora-gerente para desempenhar suas funções de maneira eficaz".

A Justiça francesa investiga as acusações, feitas por parlamentares do Partido Socialista, que na época estava na oposição, de que Lagarde abusou das prerrogativas de seu cargo ao remeter a um painel de arbitragem, em 2007, um caso envolvendo o empresário Bernard Tapie; para esses parlamentares, o caso deveria ter sido passado aos tribunais.

O painel de arbitragem acabou concedendo a Tapie uma indenização de 420 milhões de euros e os parlamentares socialistas sustentam que isso foi uma forma de agradecimento pelo fato de ele ter apoiado o conservador Nicolas Sarkozy na eleição presidencial de 2007; Lagarde era ministra das Finanças do governo Sarkozy. As informações são da Dow Jones.

Mais conteúdo sobre:
FrançaLagardeINTERROGATÓRIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.