AP Photo/Christophe Ena
AP Photo/Christophe Ena

França vai impor quarentena de 10 dias para passageiros vindos do Brasil

Paris reduziu prazo para testes PCR e aumentou multas para quem desrespeitar quarentena; Espanha também aumentou prazo

Redação, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2021 | 02h11
Atualizado 18 de abril de 2021 | 15h10

PARIS — O governo da França vai aumentar as restrições para viajantes que passaram pelo Brasil, pela Argentina, pelo Chile e pela África do Sul a partir de 24 de abril. A medida, anunciada neste sábado, 17, pelo Palácio do Eliseu, deve-se à preocupação crescente com as variantes da covid-19, mais contagiosas e possivelmente mais letais.

O anúncio vem quatro dias depois de Paris suspender por tempo indeterminado de todos os voos que tivessem como origem ou destino o Brasil e o Reino Unido. Cidadãos brasileiros já precisavam cumprir uma quarentena de dez dias ao chegarem na França, bem como um teste PCR ao final do período.

A nova diretriz, anunciada pelo escritório do primeiro-ministro Jean Castex, também cria um novo sistema para verificar, antes do embarque e na chegada, que há um lugar adequado para a realização da quarentena. O cumprimento das regras será ainda acompanhado por policiais e agentes sanitários e pelo endurecimento das multas em caso de descumprimento das regras.

As novas regras também limitam quais pessoas que estiveram nos últimos 14 dias no Brasil, na Argentina, no Chile e na África do Sul poderão ingressar no território francês. Agora, a entrada será restrita a franceses e parentes diretos, além de outros cidadãos da União Europeia que residam na França.

Para embarcarem, precisarão mostrar um teste PCR negativo realizado até 36 horas antes do voo — o prazo anterior era de 72 horas. Um segundo teste será realizado no desembarque, disse ainda o governo francês. 

Espanha prorroga quarentena obrigatória

A Espanha prorrogou neste sábado, 17, a quarentena obrigatória para viajantes do Brasil e mais 11 países por causa da propagação das novas variantes do coronavírus. A medida vale até o dia 3 de maio – e pode ser prorrogada.

Brasil, África do Sul, Botsuana, Ilhas Comores, Gana, Quênia, Moçambique, Tanzânia, Zâmbia

Zimbábue, Peru e Colômbia são os países com restrições de entrada em solo espanhol

A decisão do governo espanhol vale para passageiros de voos diretos ou com escalas intermediárias e foi tomada pela "preocupação sobre os efeitos das variantes brasileira e sul-africana".

Em publicação no Diário Oficial do Estado, a Espanha destaca a "maior transmissibilidade, o risco de reinfecções e uma possível diminuição da eficácia vacinal" pelas variantes.

Segundo a medida, todos que desembarcarem deverão cumprir quarentena de dez dias, que poderá ser interrompida aos sete dias caso se apresente um teste PCR negativo para a Covid-19.

Durante a quarentena, as pessoas "deverão permanecer em seu domicílio, ou alojamento", e poderão sair apenas para comprar comida, medicamentos e para receber atenção médica.

Assim como outros países, a Espanha autorizava a viagem apenas para cidadãos e residentes do país. / AFP e REUTERS

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.