França vende mísseis antitanque à Líbia, diz filho de Kadafi

A França concordou em vender mísseisantitanque à Líbia como parte de um acordo militar, disse ofilho do líder líbio Muammar Kadafi à edição desta quarta-feirado jornal Le Monde. "Este é o primeiro acordo de armamentos entre a Líbia e umpaís ocidental", disse Saif al-Islam, acrescentando esperar quemais acordos do tipo sejam assinados em breve. O presidente francês, Nicolas Sarkozy, fechou um acordo dedefesa e assinou memorandos de intenção para um pacote deenergia nuclear quando visitou Trípoli, na semana passada. Eletambém ajudou a negociar a libertação de profissionais médicosdetidos no país sob acusação de infectar crianças com o vírusdo HIV. Na quarta-feira, Sarkozy negou que a libertação foigarantida devido a um acordo de armamentos. A França não revelou detalhes do acordo de defesa, masIslam disse ao Le Monde que se trata de um negócio importante. "O acordo cobre exercícios militares conjuntos, claro.Depois, vamos comprar da França mísseis antitanque Milan, novalor de 136 milhões de dólares, acho", disse ele. Ainda segundo Islam, o acordo também inclui um projeto parafabricar armas. A União Européia (UE) suspendeu um embargo de armas à Líbiaem outubro de 2004.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.