França volta a registrar protestos violentos contra reforma da previdência

Serviços de aeroporto, ônibus, trem e de abastecimento de combustíveis estão comprometidos

Agência Estado e Associated Press

21 de outubro de 2010 | 09h06

Em Lyon, estudantes viram carro e enfrentam a polícia.

 

PARIS - Jovens franceses voltaram a se enfrentar com a polícia em Lyon nesta quinta-feira, 21, em meio aos protestos que tomaram o país contra a reforma da previdência que deve ser votada em breve no Senado.

 

Veja também:

mais imagens Galeria de fotos: Protestos na França

lista Entenda: Reforma na previdência motiva greve

documento Gilles Lapouge: A revolta dos jovens

especialEspecial: Veja o histórico de manifestações na França

 

Os manifestantes viraram um carro e atiravam pedras e garrafas contra as forças de segurança. A polícia respondia aos ataques usando bombas de efeito moral.

 

Meses de protestos pacíficos contra a reforma pretendida pelo governo, que eleva de 60 para 62 a idade mínima para se aposentar, se tranformaram em manifestações violentas nos últimos dias. As cidades de Lyon e Nanterre registram os maiores incidentes violentos.

 

Em Paris, Marselha e outros locais, postos e depósitos de combustíveis e aeroportos estão bloqueados. Os serviços de trens e ônibus também estão prejudicados. Segundo as autoridades, foram detidas 245 pessoas por participar de distúrbios, sobretudo jovens. Ao todo são 1.901 os detidos desde o último dia 12.

 

O ministro da Indústria da França, Christian Estrosi, disse que cerca de 3.200 postos de combustível da França ainda não haviam recebido novos suprimentos no início desta quinta-feira. O número equivale a 24,2% do total de postos do país.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.