França votará contra autorização para guerra

O presidente da França, Jacques Chirac, afirmou em entrevista transmitida pela televisão que seu país votará contra a resolução do Conselho de Segurança (CS) da ONU apoiada pelos EUA, que dá a Saddam Hussein até 17 de março para se desarmar. Chirac afirmou que a França votará contra qualquer resolução que contenha um ultimato que leve à guerra, ?não importam as circunstâncias?. Esta foi a primeira manifestação explícita de Chirac no sentido de que o país usará seu poder de veto no CS.No entanto, o presidente francês afirmou acreditar que o veto será desnecessário, porque os Estados Unidos não têm a maioria necessária de nove votos dentro do CS para aprovar o texto. ?Nesta noite, esta resolução, que traz um ultimato ... não conta com a maioria de nove votos?, disse Chirac. Perguntado sobre a possibilidade de um veto francês às pretensões americanas de guerra contra o Iraque vir a prejudicar o relacionamento entre os dois países, Chirac disse estar ?plenamente convencido do contrário?.As declarações do presidente vêm pouco depois de o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Igor Ivanov, ter afirmado que seu país - que também conta com direito de veto no CS - votaria contra a resolução americana.Embora o Kremlin venha se opondo à guerra contra o Iraque, havia uma série de especulações no sentido de que a Rússia preferiria se abster na votação, em vez de exercer o veto. A França, por sua vez, não apoiará nenhuma ação militar até que os inspetores de armas da ONU digam explicitamente ao CS que são incapazes de garantir que o Iraque esteja livre de armas de destruição em massa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.