Francês será novo presidente do Banco do Vaticano

O Vaticano escolheu o banqueiro francês Jean-Baptiste de Franssu para chefiar o Instituto de Obras Religiosas, mais conhecido como Banco do Vaticano. Com experiência em bancos de investimento, Franssu já estava atuando como membro do Conselho Econômico do Vaticano, em meio à reformulação promovida pelo papa Francisco na instituição financeira.

Agência Estado

09 de julho de 2014 | 12h09

O novo presidente do Banco do Vaticano disse que vai escolher um fundo de gestão para ajudar a instituição a melhorar a gestão de ativos. Ele também enfatizou que o fundo será escolhido também em função dos princípios católicos. O atual presidente do banco, o industrialista alemão Ernst von Freyberg, trabalhou para tornar as práticas da instituição mais condizentes com os padrões bancários internacionais, após escândalos sobre lavagem de dinheiro no banco.

Em uma entrevista para o jornal alemão Bild, Freyberg disse que o Banco do Vaticano "agora está limpo". Sem dar mais detalhes, ele afirmou que investimentos "dúbios" resultaram em custos de mais de 45 milhões de euros. Franssu disse que pretende seguir o "bom trabalho" prestado por Freyberg e elogiou a transição "extremamente tranquila e amigável" na gestão da instituição.

O cardeal australiano George Pell, que tem sido um dos principais líderes da reforma econômica promovida pelo papa Francisco, também anunciou hoje que o barão Chris Patten vai liderar um novo comitê de mídia criado para eliminar redundâncias entre os diversos veículos de comunicação da Santa Sé, com o objetivo de cortar custos. Patten, que foi o último governador de Hong Kong durante o domínio da Grã-Bretanha, renunciou em maio ao cargo de presidente da BBC Trust. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Vaticanobancoreformulação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.