REUTERS/Benoit Tessier
REUTERS/Benoit Tessier

Franceses abrigarão 1,3 mil refugiados em casa 

Especificamente, 846 refugiados serão abrigados em casas na região de Paris e os outros 515 em outras sete regiões do restante do país

O Estado de S. Paulo

30 de novembro de 2016 | 19h07

PARIS - Mais de 1,3 mil refugiados serão amparados na França em casas particulares por um período de três meses a um ano como parte do projeto “alojamento digno”, apresentado ontem pelo Ministério da Habitação. O objetivo, segundo a pasta, é proporcionar “condições de acolhida digna” a essas pessoas.

A ministra da Habitação, Emmanuelle Cosse, detalhou em entrevista coletiva que o programa, elaborado para durar dois anos, permitirá acolher 1.361 refugiados que já obtiveram asilo.

O governo francês selecionou 11 organizações que se encarregarão de identificar as famílias voluntárias e, ao mesmo tempo, os refugiados.

As organizações receberão uma ajuda de € 1,5 mil  por pessoa e deverão fazer distribuição dos refugiados nos alojamentos selecionados.

Os beneficiados serão amparados de maneira gratuita ou sob uma contribuição “definida em função de seus recursos”, e contarão com “pelo menos um quarto privado”, explicou a ministra.

Especificamente, 846 refugiados serão abrigados em casas na região de Paris e os outros 515 em outras sete regiões do restante do país.

Emmanuelle assegurou que o programa dará aos refugiados a oportunidade de “construir um futuro na França” e apontou que as organizações deverão se encarregar também de ajudá-los em trâmites administrativos, adaptação ao idioma e na procura por um emprego.

Os requerentes de asilo que ainda não receberam resposta das autoridades francesas e os exilados não serão levados em consideração pelo  projeto. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
França

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.