Franceses acham o mais antigo ancestral do homem

Pesquisadores mostraram ao mundo nesta terça-feira aquele que eles acreditam ser o mais antigo ancestral do homem, mais parecido com o homem do que "Lucy" (o mais antigo até agora), e com 6 milhões de anos, quase o dobro da idade de "Lucy". A descoberta pode dar novo fôlego à controvérsia sobre as origens do homem. Para a equipe chefiada por franceses que desenterrou 12 ossos e dentes no centro do Quênia no ano passado, a descoberta sugere que ancestrais da espécie de "Lucy" não estão na linha direta dos ancestrais do homem, disseram os pesquisadores. A descoberta foi divulgada durante uma entrevista coletiva no famoso Collège de France, que financiou a pesquisa. Um estudo será publicado no fim deste mês pela "Les Comptes-rendus de l´Academie des Sciences", quando o Ancestral do Milênio, como vem sendo apelidado, ganhará um nome científico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.