Franceses começam a deixar a Costa do Marfim

Líderes políticos marfinenses rejeitaram um acordo de paz de poucos dias para a Costa do Marfim à medida que cidadãos franceses fugiam do país nesta quarta-feira.Em Paris, autoridades franceses declararam-se prontas para umaeventual retirada em massa de seus cidadãos - transformados emalvo durante cinco dias de protestos por um plano de paznegociado pela França para pôr fim a quatro meses de guerracivil na Costa do Marfim, ex-colônia da França.O governo, o Exército e seus simpatizantes marfinenses ficaraminsatisfeitos com um acordo de partilha de poder que, alegam,concede autoridade demais aos rebeldes. O acordo foi alcançadona última sexta-feira em Paris.Na medida em que aumentava a tensão, as famílias francesasfugiam do país, principalmente mulheres e crianças, em vôosfretados de companhias francesas com base na Costa do Marfim,maior produtor mundial de cacau.Um primeiro avião partiu com 250 estrangeiros. Pelo menosoutros oito vôos fretados deveriam partir da Costa do Marfimsomente hoje. Uma mobilização como esta seria impensável antes do recente conflito entre o governo e as forças rebeldes.A Costa do Marfim é uma nação relativamente próspera do oesteda África que teve sua estabilidade abalada em 1999, quando umgolpe militar desencadeou atos de violência étnica e políticaque culminaram numa guerra civil de quatro meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.