Fraude não será evitada no 2º turno da eleições afegãs, diz ONU

Diplomata da entidade garante que haverá irregularidades nas urnas, mas que serão em menor quantidade

Associated Press,

23 de outubro de 2009 | 07h57

O mais alto diplomata da ONU no Afeganistão disse nesta sexta-feira, 23, que a fraude que marcou o primeiro turno das eleições presidenciais no país não pode ser eliminada na segunda rodada de votações em 7 de novembro, mas pode ser reduzida.

 

Veja também:

linkOtan estuda acelerar transição de segurança no Afeganistão

linkMembros da Otan não enviarão mais tropas até 2º turno

linkAfeganistão é o maior desafio da história da Otan, diz secretário

linkApós fraude, Afeganistão começa a preparar segundo turno

especialEspecial: 30 anos de violência e caos no Afeganistão

 

O norueguês Kai Eide também afirmou que a situação da segurança no país não melhorou desde o primeiro turno, realizado em 20 de agosto, quando ameaças e atentados do Taleban ocasionaram uma participação baixa dos eleitores afegãos na eleição apesar da campanha da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e Do governo para prevenir os ataques.

 

O recado de Eide vem em um momento no qual o presidente dos EUA, Barack Obama, está trabalhando em uma estratégia para prevenir o segundo turno, no qual o presidente Hamid Karzai enfrentará o ex-ministro de Relações Exteriores Abdullah Abdullah, também seja marcado pelas fraudes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.