Fraude sobre 11 de setembro coloca americano na prisão

Uma corte do Estado americano de Nova Jersey condenou a dez anos de prisão um homem que relatou falsamente que sua esposa morreu nos atentados de 11 de setembro de 2001 em Nova York, revelaram fontes judiciais neste sábado. Em setembro, Mark Christopher, de 39 anos, declarou-se culpado por fraude e outras acusações. Ele admitiu ter solicitado indenizações oferecidas por grupos assistenciais depois de ter garantido que sua esposa morrera nos atentados.Em algumas ocasiões, o condenado revelou ter usado seu nome autêntico e dizia que sua esposa se chamava Kim Christopher. Em outros casos, ele dizia se chamar Mark Palmerri e identificava sua esposa como Lisa Palmerri. De acordo com as autoridades americanas, o suspeito tentou obter mais de US$ 140.000 em indenizações pela morte das duas pessoas que apresentou como esposa.Christopher foi detido em janeiro de 2002, quando saía de um estabelecimento com o dinheiro que recebeu como parte de um cheque de US$ 32.980 emitido pela Cruz Vermelha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.