Fretilin lidera contagem no Timor, mas vantagem diminui

Pleito é visto como um meio para a restauração da estabilidade do país

Agencia Estado

03 Julho 2007 | 15h26

A Frente Revolucionária para um Timor Leste Independente (Fretilin) liderava nesta terça-feira, 3, a contagem dos votos nas eleições parlamentares realizadas no país durante o último fim de semana, mas via em risco sua vantagem sobre o Congresso Nacional pela Reconstrução do Timor (CNRT), do presidente e herói da independência José Alexandre Xanana Gusmão.Quatorze partidos concorreram nas eleições do sábado, quando os timorenses foram as urnas para escolher seus 65 representantes no Parlamento e o primeiro-ministro. O pleito é visto como um meio para a restauração da estabilidade do país depois de mais um ano de violência interna.Os principais concorrentes são a Fretilin e o CNRT. Pelos resultados disponíveis, porém, nenhum partido se colocava em condições de obter maioria simples no Parlamento, o que, se confirmado, forçará a negociação para a formação de uma coalizão de governo.Apurados pouco mais de 326 mil votos (cerca de 60% do total), a vantagem da Fretilin sobre o CNRT era de pouco mais de 21 mil votos. Mas em Díli, onde votaram quase 100 mil eleitores, o CNRT liderava com 47% dos sufrágios, contra 21% da Fretilin.A capital, onde a apuração segue a passos lentos, pode ser decisiva em favor de Xanana Gusmão, observam analistas. Os resultados não são esperados antes do fim da semana.A eleição de sábado foi a terceira votação realizada este ano na mais jovem nação asiática, que em 1999 tornou-se independente da Indonésia com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU). No ano passado, porém, um motim militar deu início a um período de episódios sangrentos e caos político.

Mais conteúdo sobre:
Timor Lesteeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.