Frio intenso já matou 218 pessoas na Europa

As temperaturas ficaram ainda mais baixas na Europa, onde nesta semana uma onda de frio já matou mais de 200 pessoas. Os meteorologistas advertiram que o frio deve piorar no fim de semana. Na República Checa, a temperatura chegou a -38,1º Celsius durante a madrugada desta sexta-feira. Em Roma caiu neve. Nos últimos sete dias, 218 pessoas morreram por causa do tempo frio, segundo balanço da France Presse.

AE, Agência Estado

03 de fevereiro de 2012 | 09h51

O governo da Ucrânia confirmou que o frio matou 101 pessoas no país. Desses, 64 morreram nas ruas. Cerca de 1.600 pessoas pediram atendimento médico por hipotermia e congelamento das extremidades. Autoridades anunciaram que 2.940 abrigos foram montados pelo país para lidar com o frio e alimentar as pessoas em dificuldades.

Na Polônia, o frio matou oito pessoas nas últimas 24 horas. Com isso, subiu para 37 o número de mortos pelo frio no país, segundo a polícia. Na Bulgária, partes do rio Danúbio congelaram. Seis pessoas foram encontradas mortas pelo frio na Bulgária, elevando o total de mortos no país para 16, disse a imprensa local.

A maioria dos mortos nos países da União Europeia é dos países mais pobres, onde pessoas foram encontradas congeladas em vilas ou morreram em casas sem calefação ou nas rodovias.

Na Bulgária, mais de mil escolas seguem fechadas pelo terceiro dia nesta sexta-feira, por causa das nevascas no norte do país.

Em Roma, moradores enfrentaram o segundo dia de neve nos últimos 15 anos. Os trens circulavam normalmente, exceto na região da Bolonha e em uma linha local perto de Roma. Nos últimos dias, atrasos afetaram milhares de passageiros. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europafriomortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.