'Fritzl argentino' é preso acusado de estupro e incesto

Pai abusou da filha por 30 anos e teve dez filhos; juiz compara crime ao caso austríaco

estadão.com.br,

24 de novembro de 2010 | 18h54

Um homem de 62 anos foi preso na província argentina de Santa Fé acusado de estupro e incesto. Segundo o juiz que cuida do caso, ele violou e teve dez filhos com sua própria filha ao longo de 30 anos. As informações são da France Presse.

"Isto é muito pior que o caso da Áustria", disse o juiz Virgilio Palud, em referência ao caso do austríaco Josef Fritzl, que abusou da filha durante 24 anos e teve sete filhos com ela.

A mulher de 43 anos denunciou o pai à justiça. Eles vivem na área rural de Nicanor Molinas, a cerca de 600 km de Buenos Aires. A vítima, que não foi identificada, disse às autoridades que o pai a ameaçava e aproveitou que ele tinha sido preso por roubo de gado para fazer a denúncia.

De acordo com o juiz, o pai nega o crime, mas exames de DNA confirmam o incesto. Ele será indiciado por estupro qualificado. A pena máxima é de 20 anos de prisão. O filho mais velho da vítima tem 27 anos e o mais novo, sete.

Tudo o que sabemos sobre:
ArgentinaJosef Fritzl

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.