Fritzl é mentalmente doente, diz advogado

Josef Fritzl, o austríaco que abusou da filha e a manteve presa por 24 anos, pode não ir a julgamento, pois é doente mental, disse ontem seu advogado, Rudolf Mayer. Fritzl será submetido a exames psiquiátricos para saber se tem condições de ir a julgamento. Sua cunhada, identificada apenas como Christine R., disse que Fritzl era um "tirano" e declarou que ele passou 18 meses na prisão por estupro em 1967.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.