Fronteira entre Israel e Líbano é palco de novos conflitos

Jatos israelenses lançaram nesta sexta-feira mísseis contra supostas posições da guerrilha no sul do Líbano em resposta a um ataque guerrilheiro em uma zona disputada da fronteira entre os dois países. O exército de Israel informou também que está utilizando helicópteros em seus ataques contra o grupo Hezbollah (Partido de Deus).Um comunicado do Hezbollah emitido em Beirute afirma que osguerrilheiros atacaram com metralhadoras e foguetes seis postosisraelenses em uma área conhecida como chácaras de Chebaa. Deacordo com oficiais libaneses, o Hezbollah lançou 80 bombas e 30 foguetes antitanques Sagger em seu ataque contra posiçõesisraelenses.Aviões israelenses retaliaram lançando mísseis contrasupostos esconderijos da guerrilha. Quatro explosões foramouvidas em Halta, uma cidade portuária distante apenas 1,5quilômetro de Chebaa. Oficiais de segurança afirmaram que Israellançou um total de seis mísseis terra-ar, além de ter utilizadometralhadoras.Não houve informações imediatas sobre casualidades.Segundo moradores locais, era possível avistar colunas defumaça subindo de uma estação de radar israelense em MonteHermon, próximo a Chebaa. Um oficial do Hezbollah afirmou que estava ocorrendo confronto direto, mas a informação não foiconfirmada por fontes independentes.Os ataques seguiram-se à detenção por parte das autoridadeslibanesas de nove palestinos armados no sul do Líbano, em umaação aparentemente ordenada em resposta à pressão internacionale às ameaças de Israel para que Beirute cesse as atividades dosguerrilheiros na região.Mas as detenções não visaram os guerrilheiros do Hezbollah,cujos ataques nesta semana contra postos do exército de Israelprovocaram vários bombardeios israelenses, ameaçando abrir umnovo front no Oriente Médio, além das incursões do Estado judeunos territórios palestinos.O governo do Líbano tem apoiado a luta do Hezbollah pelaschácaras de Chebaa, afirmando tratar-se de território libanês. AONU, por sua vez, afirma que a área está sob disputa entreIsrael e a Síria.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.