Fugitivo americano é extraditado da França

A polícia retirou hoje de sua casa no povoado de Champagne-Mouton, no interior da França, Ira Einhorn, o fugitivo americano condenado in absentia pelo assassinato de sua namorada, há mais de 20 anos, depois que o Tribunal Europeu de Direitos Humanos rejeitou o pedido para adiar sua extradição. Ele está esperando os funcionários americanos que o conduzirão aos Estados Unidos. Lá, ele enfrentará um novo julgamento como acusado pelo assassinato, em 1977, de Holly Maddux, sua namorada. A corte em Estrasburgo, na França, disse que o pedido de Einhorn foi negado por ele estar em condições médicas satisfatórias uma semana depois de ter tentado o suicídio ao saber que seria extraditado - e também porque o governo dos Estados Unidos assegurou que o fugitivo não será condenado à pena de morte. Einhorn enfrentará o novo julgamento na Pensilvânia após chegar aos Estados Unidos, para onde será conduzido por um investigador da delegacia de homicídios de Filadélfia, um agente do FBI e por outros oficiais de polícia americanos, disse hoje o porta-voz da polícia de Filadélfia, capitão Jim Pauley. Momentos após saber da decisão da corte que abriu caminho para sua extradição imediata, Einhorn saiu de dentro de sua casa em Champagne-Mouton acompanhado de sua mulher, Annika. "Sou inocente", declarou ele. "Ficarei feliz em voltar para os EUA se a Justiça me conceder um novo julgamento". Horas antes, ele havia dito à Associated Press que, caso seu pedido à Justiça francesa fosse rejeitado, ele regressaria pacificamente. Duas vans da polícia aguardavam Einhorn do lado de fora do moinho que Einhorn havia transformado em sua residência. Antes de deixá-la, o fugitivo de 61 anos passou boa parte do dia recebendo visitas. Ele comeu as sobras de uma festa que ofereceu na noite anterior, a que chamou de "última ceia". Na véspera, num cenário de luzes coloridas, os convidados haviam conversado e bebido vinho em taças de plástico até tarde da noite. O ex-pacifista nega enfaticamente o assassinato dizendo que ele foi armado pela CIA. Einhorn fugiu dos EUA em 1981, quando aguardava julgamento pelo assassinato de Holly Maddux, cujo corpo foi encontrado dentro de uma mala no closet de um apartamento em Filadélfia onde o casal residia. Em 1993, ele foi condenado in absentia à prisão perpétua.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.