Fujimori deixa a prisão após pagamento de fiança

O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori saiu nesta quinta-feira da Escola de Gendarmaria de Santiago horas depois que a Corte Suprema do Chile lhe concedeu liberdade provisória mediante pagamento de fiança. Fujimori luta contra a extradição para o Peru, onde enfrenta acusações de corrupção e violação dos direitos humanos.A saída de Fujimori do recinto no qual permaneceu sob detenção preventiva desde 7 de novembro ocorreu às 15h30 (1h30 de Brasília), depois que sua defesa pagou a fiança de 1,5 milhão de pesos (US$ 2,9 mil), fixada pelo juiz Orlando Álvarez. Sorridente, o ex-líder (1990-2000) caminhou por entre a multidão de jornalistas e carabineiros, sem responder às inúmeras perguntas feitas a ele, muitas delas relacionadas com as eleições presidenciais no Peru e outros assuntos vinculados à política daquele país."Obviamente estou muito satisfeito. Estou saindo nas mesmas condições em que entrei", disse ele à repórteres. "Sinto-me confiante e serei paciente", acrescentou. Pequenos grupos de apoiadores do ex-presidente se aglomeraram na entrada na Academia de onde observaram a saída do ex-líder à distância. Fujimori chegou ao Chile em novembro do ano passado vindo de Tóquio. Na época ele afirmou que deixara o exílio no Japão para concorrer às eleições presidências peruanas. Ele foi preso ao chegar no país depois que o governo peruano pediu sua extradição.Fujimori continuará sendo réu no julgamento de extradição solicitado por Lima, cujos argumentos são 12 processos abertos contra ele - 10 por crimes de corrupção e dois por violações aos direitos humanos.Além de ter decidido por sua liberdade, o tribunal máximo do Chile proibiu Fujimori de abandonar o país enquanto durar o julgamento, e o obrigou a comparecer periodicamente ao tribunal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.