Fujimori pede perdão a peruanos

Ex-presidente pinta quadro com mensagem

O Estado de S.Paulo

20 de outubro de 2012 | 03h02

O ex-presidente do Peru Alberto Fujimori, condenado a 25 anos de prisão por crimes contra a humanidade, recorreu à pintura de um autorretrato para fazer um novo apelo por sua libertação. Sua família pediu ao presidente Ollanta Humala que solte Fujimori. O ex-líder peruano, de 74 anos, tem problemas de saúde.

A pintura, assinada por Fujimori, traz um pedido de desculpas do ex-presidente, retratado com roupas típicas peruanas. "Perdão pelo que não fiz e pelo que não pude evitar", escreveu.

Descendente de japoneses, Fujimori fugiu do Peru para o Japão em 2000 em meio a uma onda de denúncias contra seu governo. Viveu sob proteção de sua nacionalidade japonesa até 2007, quando foi preso no Chile e extraditado para o Peru.

Entre os crimes pelos quais foi condenado estão o massacre de La Cantuta e Barrios Altos, em 1992, cometidos por uma milícia paramilitar. Além disso, foi condenado por corrupção, peculato e violação de sigilo. Ele também é suspeito de ter promovido a esterilização forçada de milhares de indígenas.

Seus filhos, liderados pela ex-candidata presidencial Keiko Fujimori, solicitaram a Humala a libertação do pai. Segundo Keiko, a frase de seu pai se referia aos erros cometidos por ele durante sua presidência (1990-2000). / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.