Fujimori será extraditado por violações aos direitos humanos

O procurador anticorrupção do Peru, Carlos Briceño, disse nesta segunda-feira que o ex-presidente Alberto Fujimori (1990-2000) será extraditado por crimes "graves" relacionados a violações aos direitos humanos e desvio de fundos.Briceño explicou à agência local de notícias Andina que "é suficiente" que o juiz chileno Orlando Álvarez considere apenas um dos crimes denunciados para que Fujimori volte para o Peru.O procurador acrescentou que confia plenamente na extradição do ex-presidente pelas 12 acusações apresentadas por Lima.Briceño viajará ao Chile para se informar sobre os avanços da solicitação de extradição do ex-presidente.O Peru solicitou, no dia 3 de janeiro de 2006, a extradição de Fujimori por 12 crimes, dez por corrupção e dois por violações aos direitos humanos, tais como as mortes de 16 pessoas em um antigo campo limenho de Barrios Altos, de um professor e de nove estudantes da Universidade de La Cantuta, interceptação telefônica a políticos, juízes e empresários, além do desvio de fundos das Forças Armadas.O ex-presidente, de 68 anos, enfrenta a solicitação de extradição a seu país desde janeiro de 2006, um mês após chegar inesperadamente no Chile, depois de deixar o Japão, de onde fugiu em novembro de 2000 e escapou de denúncias por corrupção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.