Fukuda inicia nesta quinta a sua primeira visita oficial à China

Objetivo da visita do primeiro-ministro japonês é promover a relação bilateral entre os dois países

EFE

26 de dezembro de 2007 | 06h49

O primeiro-ministro japonês, Yasuo Fukuda, viaja nesta quinta-feira à China, na sua primeira visita oficial ao país, onde passará quatro dias e se reunirá com o presidente chinês, Hu Jintao, e visitará Qufu, terra natal de Confúcio. Fukuda foi eleito primeiro-ministro em setembro. Sua única viagem oficial foi aos Estados Unidos, principal aliado do Japão. Será a primeira visita de um primeiro-ministro japonês à China desde outubro de 2006, quando seu antecessor, Shinzo Abe, esteve no país. Os níveis de aprovação de Fukuda são baixos, pouco acima dos 30%, devido a razões de política interna. Com esta viagem, segundo os analistas, ele procura demonstrar sua experiência em política internacional. O primeiro-ministro do Japão, de 71 anos, foi durante anos porta-voz do Governo de Junichiro Koizumi, e tem reputação de diplomata. O objetivo de sua visita é promover a relação bilateral, que nos últimos tempos tem melhorado, especialmente no Governo de Abe. Durante o mandato de Koizumi, entre 2001 e 2006, China e Japão mal tiveram contatos bilaterais. Um dos motivos foi a insistência do governante japonês em visitar o templo de Yasukuni, que homenageia a memória de criminosos de guerra. Nobutaka Machimura, porta-voz do Governo japonês, disse recentemente que a visita servirá para os governantes da China e do Japão "trocarem opiniões sobre assuntos internacionais e regionais", com a intenção de "ampliar uma relação mutuamente benéfica, baseada em interesses estratégicos comuns". Machimura acrescentou que a agenda vai incluir os direitos de exploração de gás no Mar do Leste da China, a desnuclearização da Coréia do Norte e a mudança climática. "Acho que temos que pensar não só na relação bilateral entre China e Japão, mas em como cooperar e servir para a estabilidade e desenvolvimento da região e do mundo. É disso que quero falar", disse Yasuo Fukuda, à agência japonesa "Kiodo". Para o primeiro-ministro japonês, o crescimento econômico da China oferece uma oportunidade ao Japão. Para ele, quanto mais os países cooperarem, mais avançarão suas economias, fortalecendo a estabilidade e o desenvolvimento da região. Fukuda deve visitar Qufu e a Tianjin, além de se reunir com o presidente Hu e o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao. Ele deverá assinar vários acordos, entre eles um para a cooperação em fusão nuclear, informa nesta quarta-feira o jornal japonês "The Daily Yomiuri".

Tudo o que sabemos sobre:
ChinaFukudaJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.