Fukushima libera 300 ton de água contaminada no mar

A usina de energia nuclear Fukushima Daiichi, que foi duramente afetada pelo tsunami de 2011, pode estar liberando 300 toneladas de água radioativamente contaminada para o oceano diariamente, desde a época do incidente, informou um funcionário do governo nesta quarta-feira.

Agência Estado

07 Agosto 2013 | 09h02

A estimativa é a primeira tentativa do governo de quantificar a seriedade da situação, depois que a operadora da usina, a Tokyo Electric Power Co. (Tepco) ter divulgado que os níveis de radiação em águas subterrâneas tem aumentado nos últimos meses. Mais cedo, o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe disse que o governo vai ter um papel mais proativo para evitar que água contaminada vá para o mar.

A usina Fukushima Daiichi registrou a fusão de três de seus reatores em março de 2011, liberando elementos radioativos em toda a região, o que configurou um dos piores acidentes nucleares do mundo. A expectativa é que sejam necessários 40 anos para a limpeza do local, a um custo de trilhões de ienes;

Até pouco tempo atrás, a Tepco dizia que mantinha a água radioativa na região da usina e que havia sido bem sucedida em evitar que essa água fosse para o oceano. Reguladores nucleares japoneses contestaram a afirmação e a Tepco recentemente admitiu que provavelmente parte da água contaminada estava vazando para o mar, embora não soubesse em que quantidade.

O governo do Japão disse que vai intervir para combater vazamentos de água contaminada de Fukushima e estuda financiar um projeto multibilionário para corrigir o problema, por meio de uma parede que impeça a passagem da água subterrânea. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.