Fumaça do diesel provoca câncer, diz a OMS

A fumaça produzida por motores a diesel causa câncer, declarou nesta terça-feira a Organização Mundial da Saúde (OMS). Para a agência da OMS encarregada de estudar o câncer, esta advertência pode fazer com que o mundo adote a mesma atitude que adota contra o fumo passivo.

AE, Agência Estado

12 de junho de 2012 | 16h36

O risco de se contrair câncer através das emissões de diesel é pequeno, mas como muitas pessoas o respiram de alguma maneira, a Agência Internacional para Pesquisas sobre Câncer (IARC na sigla em inglês), afirma que aumentar o status de "provavelmente cancerígeno" para "cancerígeno" foi um passo importante.

"Está no mesmo nível do tabagismo passivo", disse Kurt Straif, diretor do departamento do IARC que avalia os riscos de câncer. "Isso pode significar que os países devem fazer mais esforços para diminuir as emissões dos gases que escapam dos motores a diesel".

Dado que muitas pessoas estão expostas a tais emissões, Straif afirmou que pode haver muitos casos de câncer de pulmão relacionados à queima do diesel.

O especialista afirma que a fumaça afeta pedestres, passageiros e tripulação de navios, trabalhadores ferroviários, assim como caminhoneiros, mecânicos, mineiros e aqueles que operam maquinaria pesada.

A nova classificação do diesel vêm após uma semana de debates em Lyon, na França. A decisão do painel de especialistas será a diretriz da IARC.

Os especialistas basearam-se em estudos com animais e humanos. Uma das maiores pesquisas foi publicada em março, pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos. O trabalho se baseou na análise de 12,3 mil mineiros durante várias décadas a partir de 1947. Os pesquisadores concluíram que os trabalhadores mais expostos à fumaça tem mais chances de morrerem de câncer no pulmão.

As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.