Fumaça faz Boeing 747 retornar a aeroporto na Austrália

Uma falha elétrica gerou fumaça na cabine de um Boeing 747 da Qantas Airways, forçando os pilotos a retornarem a Sydney, na Austrália, de onde a aeronave havia decolado. O incidente, ocorrido hoje, foi o mais recente de uma série de problemas enfrentados pela companhia aérea desde que a explosão do motor de um superjumbo desencadeou um temor em relação à segurança das viagens.

AE, Agência Estado

15 de novembro de 2010 | 10h00

A fumaça no Boeing 747 não está relacionada com o episódio do superjumbo, mas esta foi a terceira vez que aviões da Qantas tiveram voos abortados por conta de falhas desde a explosão no Airbus A380, no dia 4 de novembro, que levantou preocupações sobre o maior avião de passageiros do mundo.

A companhia aérea informou que o Boeing 747, com 221 passageiros e tripulantes, partiu de Sydney com destino a Buenos Aires, na Argentina. O avião já estava viajando há uma hora quando uma fumaça começou a invadir a cabine a partir de um painel de instrumentos. Os pilotos colocaram máscaras de oxigênio e retornaram, despejando combustível sobre o Oceano Pacífico, antes de fazer uma aterrissagem prioritária em Sydney.

A Qantas, que se orgulha de seu histórico de segurança, diz que as três falhas ocorridas desde o dia 4 de novembro foram muito menos graves que os problemas com o A380. A companhia afirmou que os retornos das aeronaves aos aeroportos foram preventivos. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
aviãofumaçapousoBoeingAustrália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.