Funcionalismo faz greve na França

Greves nacionais paralisaram o tráfego de trens, os serviços de correio, os hospitais públicos e os museus da França. Apenas dois terços dos trens Eurostar, que ligam Paris a Londres, circularam; dentro da França, a paralisação impediu que metade dos trens circulassem. Nos hospitais públicos, somente os serviços de emergência funcionaram. Os museus, por sua vez, ficaram fechados pelo nono dia consecutivo. Passeatas de funcionários públicos em greve reuniram 25 mil pessoas em Bordeaux e cerca de 7 mil em Paris. Os servidores têm várias reivindicações, que incluem a criação de mais empregos e a rejeição da semana de trabalho de 35 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.