Funcionário do Serviço Secreto acusado de roubo no 11/9

Um funcionário do Serviço Secreto americano roubou carros da agência, sujos pela poeira do desabamento do World Trade Center, e os deu de presente à sua mãe e à sua filha, acusaram promotores. Acreditava-se que os carros haviam sido inutilizados. William Bennette declarou-se inocente. Ele é acusado de roubo de propriedade do governo, delito para o qual a pena máxima é de dez anos de reclusão.Seu advogado explicou que a atitude de Bennette é explicada pelo trauma psicológico causado pelos atentados contra o World Trade Center, onde Bennette trabalhava em 11 de setembro de 2001, data dos trágicos atentados contra os Estados Unidos."Existe o lado humano disso tudo, que vira à tona somente quando o caso estiver em andamento", disse o advogado Alan Lieberman. "Seria injusto se as pessoas se apegassem à conclusão precipitada de que o senhor Bennette estava simplesmente explorando a tragédia de 11 de setembro."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.