Funcionários da Casa Branca sabiam de investigação

Altos funcionários do Departamento do Tesouro dos Estados Unidos foram informados em junho de 2012 de que investigadores estavam analisando as reclamações de que grupos conservadores estavam sendo perseguidos pela Receita Federal norte-americana (IRS, na sigla em inglês), disse o inspetor geral do Departamento do Tesouro dos EUA para a administração tributária, J. Russell George. Dessa forma, funcionários do governo do presidente Barack Obama sabiam que havia uma investigação durante o calor da campanha presidencial do ano passado.

AE-AP, Agência Estado

18 de maio de 2013 | 10h13

O relatório elaborado por George concluiu que um escritório regional do IRS tinha como alvo grupos conservadores, cujos processos ficavam de lado por mais de 18 meses sem receber nenhum avaliação dos seus pedidos de isenção de impostos, o que os impedia de levantar recursos para as eleições de 2010 e 2012.

O ex-comissário da Receita Federal norte-americana (IRS, na sigla em inglês), Steven Miller, afastado após o escândalo, pediu desculpas ao Congresso norte-americano caso, provocado pela revelação de que a agência adotou maior rigor nas análises de grupos conservadores que procuravam isenção de impostos, inclusive durante a eleição presidencial do ano passado.

Ele disse que a conduta resultou de uma tentativa equivocada de lidar com uma enxurrada de novos pedidos, mas sem viés político. Miller admitiu que "erros tolos foram feitos" e que o processo que resultou em tornar os conservadores alvo da Receita é "intolerável e um erro, mas não um ato de partidarismo".

Congressistas de ambos os partidos criticaram duramente o IRS em uma audiência no Congresso na sexta-feira sobre o escândalo, enquanto os republicanos da oposição estão usando o caso para levantar questões sobre a credibilidade do presidente Barack Obama e tentar tornar mais difícil para ele atingir seus objetivos políticos ao longo do segundo mandato.

Na quinta-feira, 16, Obama nomeou Daniel Werfel para ocupar interinamente o cargo de comissário da Receita. Werfel deixará o cargo de controlador geral da Agência de Administração e Orçamento para suceder Miller.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.