Funcionários da ONU são libertados na Somália

Quatro funcionários humanitários da Organização das Nações Unidas (ONU), sequestrados na manhã de hoje por homens armados na Somália, foram libertados várias horas depois, informou a organização em comunicado. Os quatro trabalhadores - três estrangeiros e um somali - foram sequestrados na cidade de Wajid, 75 quilômetros ao sudeste da fronteira entre a Somália e a Etiópia. O porta-voz associado da ONU na Somália, Farhan Haq, anunciou mais tarde nesta segunda-feira que "as quatro pessoas que foram sequestradas foram todas soltas e estão agora sob a segurança da ONU."

AE, Agencia Estado

16 de março de 2009 | 17h51

Os funcionários da ONU foram capturados quando estavam a caminho de embarcar num avião próximo a Wajid. "Os três trabalhadores da ajuda da ONU dirigiam-se para o aeroporto a fim de sair para Nairóbi, quando homens armados interceptaram o carro deles", disse um empregado da ONU, sob anonimato. Ele acrescentou que os reféns tinham voltado recentemente da cidade de Hargeysa, no norte de Somalilândia, um estado que reivindica autonomia. As vítimas faziam uma parada em Wajid no caminho de volta para o Quênia. Com informações da Dow Jones e da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUSomáliasequestro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.