Funcionários do metrô de Lisboa fazem greve

Funcionários do metrô lisboeta paralisaram atividades nesta quinta-feira, 30, por 24 horas. A greve representa mais um protesto contra as medidas de austeridade promovidas pelo governo de Portugal. O Metropolitano de Lisboa transporta em média 500 mil passageiros por dia, e a interrupção do serviço provocou congestionamentos nas ruas e longas filas nas paradas de ônibus da capital portuguesa.

AE-AP, Agência Estado

30 Maio 2013 | 11h11

Os sindicatos que representam os metroviários convocaram a greve contra reformas trabalhistas e

cortes em direitos relacionados ao salário. O governo pretende fundir a companhia de metrô com a empresa de ônibus de Lisboa, Carris, que também é estatal, para poupar dinheiro, racionalizando os serviços prestados pelas duas empresas, que são deficitárias. Lisboa também está tornando mais fácil para empregadores contratar e demitir funcionários, em troca de ajuda financeira de 78 bilhões de euros recebida há dois anos. No ano passado, os metroviários organizaram três paralisações de 24 horas.

Os funcionários públicos e empregados de empresas públicas planejam novas manifestações nas próximas semanas, incluindo uma greve de professores durante o período de provas do ensino médio em junho. As duas confederações sindicais do país, que representam mais de 1 milhão de trabalhadores, também estão estudando protestos conjuntos. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Portugalgrevemetrô

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.