Funcionários e turistas deixam Capitólio em pânico

As pessoas saíram correndo, gritando e chorando do Capitólio norte-americano, depois que uma aeronave chocou-se com o Pentágono. A polícia do Capitólio orientou funcionários e turistas a se afastarem o mais que pudessem do edifício. "Eu não sei o que estamos fazendo agora", disse uma autoridade ao ser perguntada se os prédios da Câmara de Deputados e do Senado estavam sendo evacuados. Os congressistas abandonavam o prédio, visivelmente chocados com as notícias sobre a onda de atentados nos EUA. "Eu não sei o que pensar", disse o senador democrata Robert Byrd. "Não deveríamos estar demasiadamente surpresos. Vivemos em tempos muito, muito estressantes e estamos abertos ao ataque". Agentes do serviço secreto percorreram o Departamento do Tesouro pedindo que as pessoas saíssem imediatamente, enquanto soavam as sirenes. Os funcionários, apesar de chocados, deixavam o edifício ordenadamente. Nuvens de fumaça podiam ser vistas sobre a cidade, enquanto funcionários que evacuavam prédios do governo se concentravam nas ruas próximas à Casa Branca. O ex-senador democrata John Glenn, de Ohio, estava na cidade para participar de uma entrevista à imprensa, que aconteceria ainda hoje, sobre os planos de construção de um centro de visitantes no Capitólio. ?Este ataque terrorista nos coloca diante de um novo nível de resposta... Quando as pessoas dão a própria vida não há quase nada que possamos fazer?, disse Gleen.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.