Funcionários pedem demissão por intérprete falso

O Congresso Nacional Africano, partido governista da África do Sul, disse que dois funcionários ligados ao intérprete de linguagem de sinais falso no memorial de Nelson Mandela pediram demissão.

AE, Agência Estado

21 de janeiro de 2014 | 16h37

O jornal New Age afirmou que um dos funcionários é Bantubahle Xozwa, proprietário de uma companhia que contratou o intérprete falso. Xozwa afirmou que o intérprete Thamsanqa Jantjie não estava trabalhando para a empresa no memorial de Mandela no dia 10 de dezembro, no qual ficou próximo do presidente dos EUA, Barack Obama, e de outros líderes mundiais. Durante o evento, ele fez sinais de linguagem sem nexo.

Jantjie disse que tem esquizofrenia, alucinações e que viu anjos durante o memorial. Especialistas dizem que os sinais feitos por ele eram sem sentido. Amigos de Jantjie disseram que ele também estava envolvido no assassinato de dois homens em 2003, mas foi considerado mentalmente incapaz para ser julgado. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
África do SulIntérprete

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.