Funcionários suspeitam de bomba em embaixada grega

Policiais e especialistas em bombas foram enviados hoje para as embaixadas da Grécia e da Venezuela em Roma, na Itália, depois que pacotes suspeitos foram encontrados nesses locais. A descoberta dos objetos ocorre após a explosões de pacotes-bomba nas embaixadas do Chile e da Suíça na sexta-feira, que feriram duas pessoas que abriram os embrulhos. Um grupo anarquista ligado a anarquistas gregos assumiu a responsabilidade pelo atentado.

AE, Agência Estado

27 de dezembro de 2010 | 09h31

Nos últimos dias, ocorreram vários relatos de pacotes suspeitos que se provaram ser alarmes falsos. Hoje, Nicola Tzoitis, funcionário da embaixada grega, reforçou suspeitas de uma carta-bomba no local. O porta-voz da polícia, Maurizio Scandali, disse que um esquadrão antibombas estava no local, mas não deu maiores detalhes. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
bombaembaixadaItáliaGrécia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.