Fundador do WikiLeaks pede a libertação de Manning

O fundador do WikiLeaks Julian Assange considerou a sentença de Bradley Manning como uma vitória tática porque ele pode obter liberdade condicional antes de terminar sua sentença de 35 anos na prisão anunciada hoje por um juro militar.

AE, Agência Estado

21 de agosto de 2013 | 15h42

Entretanto, Assange disse que "o único resultado justo" seria a libertação de Manning, que também deveria ser recompensado pelo tratamento que recebeu na prisão militar antes do julgamento.

Assange emitiu um comunicado escrito nesta quarta-feira após a sentença de Manning ter sido anunciada em Fort Meade. Manning foi condenado por 20 crimes, excluindo seis violações do Ato de Espionagem, por ter enviado documentos secretos para o WikiLeaks.

O criador do WikiLeaks criticou a administração do presidente Barack Obama, dizendo que as autoridades estão demonstrando que não existe lugar para "pessoas com consciência e princípios".

Tudo o que sabemos sobre:
EUAMANNINGASSANGE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.