Olivier Hoslet/Efe
Olivier Hoslet/Efe

Funeral comovente marca a despedida de 17 vítimas de acidente na Suíça

Cerca de 6 mil pessoas estiveram presentes na cerimônia, em um pavilhão da cidade de Lommel

Efe,

21 Março 2012 | 11h25

BRUXELAS - Um funeral comovente e sereno fez a despedida nesta quarta-feira, 21, de 17 das 28 vítimas do acidente de um ônibus belga na Suíça, em um ambiente que tentou celebrar a inocência e a alegria da infância.

 

Veja também:

linkGarotas feridas durante acidente na Suiça saem do coma

Cerca de 6 mil pessoas estiveram presentes na cerimônia, em um pavilhão de usos múltiplos da cidade de Lommel (norte do país).

A cerimônia lembrou os 15 estudantes de sexto grau (11-12 anos), um professor e uma acompanhante da escola que morreram no ônibus enquanto voltavam à Bélgica após uma excursão de dez dias para participar de aulas de esqui.

Os 15 caixões brancos, cada um com a foto de uma criança, e os dois escuros foram transportados, um por um, por soldados até o pé de um palco.

Ali, várias crianças formaram um coração com flores amarelas e poucas vermelhas. Os momentos mais emotivos chegaram quando os familiares das crianças mortas subiram ao palco para ler mensagens muito emotivas.

"Era alguém especial"; "Quando olho o céu e vejo as estrelas, sei que não está longe. Sentimos saudades"; "Querido Jerome, o quanto esperava estas aulas de esqui!...beijos de papai e mamãe"; "Vai fazer muita falta. Descanse e lembre-se de seus amigos"; "Tinha tantos planos para realizar", foram algumas das frases pronunciadas.

Os discursos, que tentaram lembrar a alegria infantil e os melhores momentos da curta vida das pequenas vítimas, foram intercalados com atuações musicais, como a de vários coros de crianças e jovens, marcado por um cenário negro e uma iluminação muito sóbria.

A maioria dos familiares se manteve serena, mas alguns não puderam evitar as lágrimas ao lembrar do filho, filha, irmão ou irmã mortos.

Também discursaram familiares dos dois motoristas do ônibus, que estão entre os seis adultos mortos na tragédia.

Enquanto cada familiar falava, uma tela grande mostrava a imagem da criança a quem o discurso se dirigia, imagem rodeada por desenhos de cores ou fotografias tiradas durante os dias em que as crianças estiveram na neve dos Alpes.

Os funerais propriamente ditos serão realizados de forma privada. A maioria das crianças e o professor serão enterrados juntos em um espaço comum no cemitério de Lommel.

A cidade de Heverlee terá nesta quinta-feira um funeral pelas sete crianças do sexto grau da escola Sint-Lambertus, mortos no mesmo acidente. As outras vítimas adultas terão cerimônias privadas individuais.

As crianças das escolas de toda a Bélgica enviaram nos últimos dias mensagens a seus companheiros dos dois centros devastados pela tragédia.

Os reis belgas Alberto e Paola, e o primeiro-ministro, Elio di Rupo lideraram a cerimônia. Os soberanos cumprimentaram pessoalmente todos os familiares.

Como sete das crianças mortas no acidente eram holandesas, participaram além disso os príncipes da Holanda, Guillermo Alejandro e Máxima, assim como o primeiro-ministro, Mark Rutte.

Também esteve presente a presidente da Confederação suíça, Eveline Widmer-Schlumpf, à frente de uma delegação do cantão de Valais, onde está o túnel que aconteceu o acidente na cidade de Serre, por motivos ainda desconhecidos.

Todas as personalidades estarão quinta-feira na cerimônia de Heverlee.

Mais de 5 mil pessoas se concentraram nos arredores do pavilhão de Lommel, onde foram instaladas telas gigantes para acompanhar o funeral do exterior.

A cerimônia, que durou mais de três horas, foi retransmitida ao vivo pelas principais redes públicas e privadas de televisão do país.  

Mais conteúdo sobre:
funeral morte acidente Suiça

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.