Funeral de aiatolá dissidente vira protesto no Irã

Dezenas de milhares de pessoas participaram do funeral do aiatolá dissidente Jalaleddin Taheri, nesta terça-feira, e transformaram a cerimônia em um dos maiores protestos em anos no Irã a apenas dez dias das eleições presidenciais, segundo informações da BBC.

AE, Agência Estado

05 de junho de 2013 | 01h45

Jalaluddin Taheri morreu com 87 anos no domingo, na cidade de Isfahan. O aiatolá era um forte crítico dos políticos linha dura que estão no poder no Irã e havia renunciado ao seu cargo como forma de protesto.

No funeral, manifestantes gritaram palavras de ordem contra o governo e o líder supremo do Irã, o aiatolá Ali Khamenei, descrevendo-o como um ditador, segundo a BBC.

Os manifestantes também pediram a libertação de todos os presos políticos, incluindo dois líderes do movimento reformista que estão sob prisão domiciliar em Teerã.

Mais conteúdo sobre:
irãprotesto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.