Funeral de aiatolá leva a protesto contra governo do Irã

Uma multidão compareceu ao funeral na cidade sagrada de Qom, a 125 quilômetros ao sul de Teerã

AE-AP, Agencia Estado

21 de dezembro de 2009 | 13h23

  Milhares acompanham funeral de aiatolá, em Qom, cidade ao sul de Teerã. Foto: AP

 

DUBAI - Dezenas de milhares de iranianos transformaram hoje o funeral do pai espiritual do movimento reformista do Irã em um protesto contra o governo. "Morte ao ditador" e outros gritos eram ouvidos pelos manifestantes, em meio a um forte esquema de segurança para o enterro do grão-aiatolá Hossein Ali Montazeri. Uma multidão compareceu ao funeral na cidade sagrada de Qom, a 125 quilômetros ao sul de Teerã. Montazeri morreu ontem, aos 87 anos.

O regime iraniano proíbe a imprensa estrangeira de registrar protestos in loco, por isso não é possível obter acesso independente ao ato. Um site da oposição informou sobre enfrentamentos entre os manifestantes e as forças de segurança. As fontes falavam sob condição de anonimato, temendo represálias. Imagens divulgadas pela internet mostravam a multidão protestando nas ruas de Qom. Alguns manifestantes lançavam pedras nas forças de segurança e houve confrontos.

 

 

Imagens divulgadas pela internet mostravam a multidão protestando nas ruas de Qom. Foto: AP

A morte de Montazeri deixou a liderança iraniana em posição difícil. As autoridades foram obrigadas a lamentar a morte de um dos patriarcas da Revolução Islâmica de 1979, que chegou a ser apontado como um provável sucessor do aiatolá Ruhollah Khomeini. Montazeri, porém, rompeu com a liderança clerical iraniana e se tornou um duro crítico do regime, denunciando o líder supremo aiatolá Ali Khamenei e qualificando a repressão após as eleições deste ano como o trabalho de uma ditadura.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãaiatoláfuneralprotestos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.