Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Funeral de Benazir Bhutto atrai milhares de pessoas

Corpo estava envolvido com as cores da bandeira de sua legenda política, o Partido Popular do Paquistão

Efe,

28 de dezembro de 2007 | 09h31

O funeral da dirigente opositora Benazir Bhutto, assassinada na quinta-feira, 27, atraiu milhares de pessoas até a localidade paquistanesa de Naudero, para dar seu último adeus.  Veja também:Índia reforça vigilância na fronteira após morte de BhuttoAl-Qaeda assume assassinato de Bhutto, diz agênciaFilha de dinastia, Benazir era figura polêmica Análise: Paquistão em mares desconhecidosImagens Cronologia: A trajetória de Benazir Vídeo e análise com Roberto Godoy Blog do Guterman: Guerra civil à vista   As televisões paquistanesas mostraram imagens do cortejo fúnebre, encabeçado por um veículo que transportava o caixão da ex-primeira-ministra até o mausoléu da família Bhutto em seu povoado natal, Garhi Khuda Baksh. O corpo da dirigente estava envolvido com as cores vermelha, verde e preta da bandeira de sua legenda política, o Partido Popular do Paquistão (PPP). Estavam presentes sua irmã Sanam - a única que restou viva na família -, o marido, Asif Zardari, e seus três filhos, que escutaram os cânticos dos seguidores de Benazir. Também foi à cerimônia o vice-presidente do PPP, Amin Fahim, cuja legenda declarou 40 dias de luto enquanto debate sua participação nas próximas eleições legislativas, previstas para o dia 8 de janeiro. O líder de outro movimento de oposição ao presidente paquistanês Pervez Musharraf, Nawaz Sharif, não compareceu ao funeral. O líder ligou para o esposo de Bhutto para dar-lhe condolências, mas não irá a Garhi Khuda Baksh até no sábado, por motivos de segurança. O corpo da dirigente foi transportado durante a madrugada em um avião militar C-130 até a cidade de Sukkur (sul), de onde partiram até sua localidade natal. Benazir será enterrada no mausoléu da família, onde descansa seu pai, Zulfikar Ali Bhutto, primeiro-ministro do país entre 1973 e 1977 e que foi derrubado pelos militares e enforcado em 1979. Zulfikar teve quatro filhos, dos quais três foram assassinados.

Tudo o que sabemos sobre:
Benazir Bhutto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.